Cartografia: coordenadas, fusos horários, mapas e projeções

Revisão com os principais tópicos de Cartografia cobrados no Enem. Confira!

Um dos assuntos mais trabalhados no ensino fundamental são as coordenadas geográficas, fusos horários, mapas e projeções. Contudo, a Cartografia no Enem também está bastante presente nas questões, exigindo assim dos alunos que relembrem todo conteúdo trabalho ao longo da sua vida escolar.

Neste texto iremos fazer uma revisão completa sobre esses assuntos e de como eles poderão ser cobrados no Enem. Confira.

Cartografia no Enem

A cartografia é uma ciência e uma ferramenta essencial para Geografia, sendo conceituada, de acordo com o IBGE, como: “conjunto de estudos e operações científicas, artísticas e técnicas, baseados nos resultados de observações diretas ou de análise de documentos, cartas, de projetos e de outras formas de expressão, bem como sua utilização.”

Dessa forma, vale ressaltar, que desde antes das grandes navegações, tal ciência já era importante para o desenvolvimento humano. Nesse aspecto, o Enem pode explorar tanto a importância da cartografia para a história como a aplicação dos seus elementos. Veja abaixo quais são:

Conceitos Fundamentais

Orientação e Localização

Os conceitos de orientação e localização são essenciais para iniciarmos os estudos de Cartografia no Enem. Orientação significa, no sentindo geográfico, determinar a nossa posição em relação a algum ponto de referência. Já a localização, nada mais é que utilizar coordenadas geográficas (latitude e longitude) somadas aos pontos de orientação ou rosa dos ventos.

A rosa dos ventos – pontos cardeais

A rosa dos ventos é uma representação gráfica dos principais pontos de direção geográfica: cardeais, colaterais e subcolaterais. Cada quadrante da figura corresponde a 90° e foi estabelecido que o norte representa o 0°, o leste 90°, o sul 180° e o oeste 270°. Conhecer os pontos cardeais é a base elementar para a orientação.

Cartografia no Enem - Rosa dos Ventos

Movimentos da Terra

Para melhor entender os conceitos de orientação e localização, também é importante compreender os principais movimentos da terra. São eles:

Rotação: é o movimento que a terra faz ao girar em torno do seu próprio eixo. Esse movimento é realizado de oeste para leste e define os dias e as noites. Na terra, esse movimento tem aproximadamente 24 horas – mais precisamente 23 horas, 56 minutos e 4 segundos.

Movimentos da Terra

Translação: é o movimento que a terra e outros planetas fazem ao redor do sol no sentido de oeste para leste. Esse caminho ou órbita tem uma forma elíptica e dura 365 dias, 5 horas, 49 minutos e 2 segundos, ou seja, um ano. É o movimento de translação da terra o responsável por definir as estações do ano.

Fusos Horários

Em razão do seu formato, a terra possui 360º de circunferência. Como o planeta demora aproximadamente 24 horas para girar em torno de sí mesmo, a cada hora que ele gira, cobre uma distância de 15° em relação ao sol (360°/24h= 15°/h).

Devido ao movimento de rotação, as horas aumentam para leste e diminuem para oeste. Foi convencionado , então, que o primeiro fuso horário é a partir do Meridiano de Greenwich, Tempo Universal Coordenado (TUC), e a partir dele, traçam-se meridianos a cada 15° (12 horas para cada hemisfério).

Dessa forma, cada fuso horário é delimitado por dois meridianos e todos os lugares situados no seu interior têm a mesma hora, denominada, hora legal. A hora local é definida pela passagem do sol pelo meridiano do lugar, mas a hora legal é definida pelo fuso onde está.

Os fusos horários no Brasil

Até julho de 2008, o Brasil possuía 4 fusos horários. Contudo, a partir dessa data, os país passou a ter apenas 3 fusos horários. Em novembro de 2013, o antigo fuso horário, vigente no Acre e no sudoeste do Amazonas, foi restabelecido e o país passou a ter 4 fusos horários novamente atrasados em relação ao meridiano de Greewich.

Até o ano de 2018, o Brasil possuía o denominado horário de verão, cujo objetivo era o melhor aproveitamento da luz natural ao entardecer, o que proporciona substancialmente a redução na geração de energia elétrica, em torno de 5%. Entretanto, em 2019, por meio de um decreto, o presidente Jair Bolsonaro extinguiu o horário de verão.

Coordenas Geográficas

É através do sistema de coordenadas geográficas, baseado em valores numéricos definidos pela latitude e longitude, que podemos definir a posição de um ponto qualquer na superfície da terra.

Como ponto de origem para as latitudes, tem-se o Equador. Já como ponto de origem para as longitudes, tem-se o Meridiano de Greenwich. Confira:

Latitude e Longitude - Cartografia no Enem

Meridianos: são círculos máximos imaginários que cortam a terra no sentido longitudinal (de polo a polo), os quais a dividem em dois hemisférios. O meridiano de origem é o de Greenwich (0°), a partir do qual podem ser definidas as longitudes. Longitude é a distância em graus da linha do Meridiano de Greenwich até qualquer ponto da superfície da terra, cuja variação é de 0° a 180°, tanto para oeste quanto para leste.

Paralelos: são círculos que cruzam os meridianos perpendicularmente, ou seja, formando ângulos retos (90°). Ao contrário dos meridianos, apenas o Equador (0°), é o círculo máximo. É a partir dele que se determinam as latitudes, isto é, a distância em graus de qualquer ponto da superfície da terra em relação a linha do equador, apresentando variações de 0° a 90°.

Agora que entendemos os principais conceitos cobrados em Cartografia no Enem, vamos falar sobre seus elementos: mapas e projeções.

Mapas

Os mapas representam uma das principais ferramentas da cartografia no Enem, sendo utilizados para analisar e interpretar a realidade espacial e também para intervir nela, por meio ações de planejamento.

Nesse sentindo, o IBGE conceitou mapa como: “representação no plano, normalmente, em escala pequena, dos aspectos geográficos, naturais, culturais e artificiais de uma área tomada na superfície de uma figura planetária, delimitada por elementos físicos, político-administrativas, destinada aos variados usos temáticos, culturais e ilustrativas.”

Projeções Cartográficas

Os sistemas de projeções cartográficas constituem formas de representação cartográfica que transformam as coordenadas planas, mantendo a correspondência entre elas.

Projeções Cilíndricas

Servem para representar as regiões de baixa latitude, já que apresentam paralelos e meridianos retos, deformando e exagerando as regiões polares. Uma das projeções cilíndricas mais utilizadas é a de Mercator, como uma visão do planeta centrada na Europa.

Projeções Cilíndricas: Mercartor - Cartografia Enem

Projeções Cônicas

Apresentam os meridianos e paralelos curvos, sendo usadas para representar regiões de latitudes médias. Na projeção cônica, as deformações são mínimas nas latitudes médias, aumentando à medida, que as zonas representadas estão mais distantes.

Projeções Cônicas

Projeções Azimutais

Apresentam paralelos em círculos concêntricos e meridianos retos, sendo mais utilizadas para representar as regiões polares (de altas latitudes).

Cartografia: coordenadas, fusos horários, mapas e projeções 1

Gostou da revisão de Cartografia no Enem? Alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

Comente