Enem Digital 2020 – Entenda como irá funcionar a prova

Com a versão digital do Enem, será possível criar novos tipos de questões, incluindo vídeos, infográficos e jogos

A versão impressa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está com os dias contados. Recentemente, o Ministério da Educação (MEC) anunciou a criação do Enem Digital. A versão piloto do exame será aplicada em 2020 e a expectativa do governo é que, a partir de 2026, não exista mais a prova impressa.

Mas, como toda mudança, é comum que apareçam muitas dúvidas. Afinal, como vai funcionar a prova? A mudança será vantajosa para os estudantes? A versão digital será confiável?

Se você tem essas e outras dúvidas sobre o Enem Digital, basta continuar a leitura deste artigo. Nele, reunimos as principais informações que você precisa saber sobre o novo formato do exame.

Como vai funcionar o Enem Digital?

Enem Digital 2020: entenda como irá funcionar a prova

A proposta do governo é implementar o Enem Digital de forma progressiva. Assim, a partir da edição do ano que vem, o estudante poderá escolher se quer fazer a versão impressa ou digitalizada do exame.

De acordo com o Inep, órgão responsável pelo exame, a empresa contratada para aplicar o Enem ficará responsável por fornecer os computadores e demais equipamentos para a realização da prova. Portanto, o governo não precisará adquirir novas máquinas para o Enem Digital.

A integração com o meio digital permitirá que os candidatos recebam a confirmação de realização da prova pelo celular. Além disso, eles poderão acessar o gabarito do exame com mais facilidade. Outra possibilidade anunciada pelo MEC é a utilização de recursos visuais nas provas, como vídeos, infográficos e jogos nas questões.

Mudanças na prova

Na edição de 2020, a versão digital e a impressa terão questões diferentes. Contudo, as questões das duas versões serão baseadas na Teoria de Resposta ao Item (TRI) e, portanto, terão o mesmo nível de dificuldade.

Já em relação ao conteúdo das provas, não haverá mudanças no Enem Digital 2020. Assim, tanto a versão digital quanto a impressa contarão com questões de Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Redação.

A principal mudança com a criação do Enem Digital é a possibilidade de customização da prova de acordo com a carreira pretendida pelo estudante. A expectativa é que, aos poucos, as questões sejam elaboradas com base no Novo Ensino Médio. Com a mudança, o exame poderá abordar temas que não são cobrados atualmente com a versão impressa.

Mais de um Enem por ano

A primeira edição do Enem Digital será aplicada em apenas um momento. Mas, a expectativa é que o exame seja realizado mais de uma vez ao ano. Segundo o Inep, o aumento da quantidade de aplicações acontecerá aos poucos e o participante terá a oportunidade de agendar a data previamente.

Portanto, as próximas edições do Enem ficarão assim:

  • 2019: não sofrerá alterações. Logo, todas as provas serão impressas e aplicadas em novembro;
  • 2020: uma edição do exame disponível no formato digital e impresso;
  • 2021: duas edições do Enem Digital e uma da versão tradicional;
  • 2022 a 2025: o aumento de aplicações será feito gradativamente, até atingir quatro edições por ano;
  • 2026: extinção da versão impressa e mais de quatro edições do Enem Digital por ano.

Enem 2020

A primeira edição do Enem Digital já tem data marcada. O exame acontecerá será nos dias 11 e 18 de outubro. Já a versão tradicional será aplicada aos demais estudantes nos dias 1º e 8 de novembro.

O piloto do Enem Digital será aplicado no próximo ano para até 50 mil candidatos, o que representa apenas 1% do total de participantes do exame. O Enem Digital 2020  estará disponível para estudantes de 15 capitais brasileiras. São elas:

  • Belém (PA)
  • Belo Horizonte (MG)
  • Brasília (DF)
  • Campo Grande (MS)
  • Cuiabá (MT)
  • Curitiba (PR)
  • Florianópolis (PR)
  • Goiânia (GO)
  • João Pessoa (PB)
  • Manaus (AM)
  • Porto Alegre (RS)
  • Recife (PE)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Salvador (BA)
  • São Paulo (SP)

Vantagens do Enem Digital

Com um sistema eletrônico mais avançado, o Enem Digital permitirá que as notas sejam divulgadas mais rapidamente. Além disso, a logística de segurança e aplicação do exame ficará bem mais simples.

A principal vantagem do Enem Digital apontada pelo MEC é a redução de custos. Na edição de 2019, por exemplo, a aplicação do exame para mais de 5 milhões de inscritos custará cerca de R$500 milhões. Já o piloto do Enem Digital terá um custo inicial de R$20 milhões para 50 mil candidatos.

Desafios do Enem Digital

O novo formato do Exame Nacional do Ensino Médio divide opiniões e também apresenta alguns desafios. O principal deles é em relação ao acesso a computadores, já que muitas escolas públicas não têm os equipamentos.

Com isso, muitos alunos sem acesso à informatização poderão ser prejudicados com a versão digital. Além disso, os responsáveis pela aplicação do exame terão que garantir que os computadores cheguem até mesmo nas regiões mais isoladas do país.

Outro desafio diz respeito à segurança de dados do exame, já que o meio digital oferece possibilidades de fraudes e invasões.

O que você achou da novidade do O que você achou da novidade do Enem Digital? Compartilhe sua opinião conosco!

Comente