Entenda quem precisa de fiador no Fies

Fiador no Fies: veja quais são as modalidades de fiança do Financiamento Estudantil.

Cursar uma graduação é o sonho de diversas pessoas, mas nem sempre é possível o acesso ao ensino superior de forma gratuita. Por essa razão, o Ministério da Educação criou o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que é um programa que oferece financiamento estudantil em instituições privadas. 

A intenção do MEC é possibilitar o acesso de pessoas de baixa renda ao ensino superior, desde que eles atendam aos requisitos do programa. É o caso da apresentação de fiador no Fies, que é requerido em algumas situações como vamos mostrar a seguir.

Quais as modalidades do Fies

Fiador do Fies: entenda como funciona

De acordo com as mudanças anunciadas em 2018, o novo Fies vem com três tipos de contrato, como você pode ver a seguir:

FIES 1

Esta modalidade contempla os estudantes que possuem renda per capita familiar de três salários mínimos. Ela possui taxa de juros zero e, pelas regras, a mensalidade será de, no máximo, 10% da renda mensal no começo do financiamento.  

FIES 2

Voltado para pessoas com renda familiar per capita de até cinco salários mínimo, o FIES 2 foi criado para atender alunos da região Nordeste, Norte e Centro-Oeste. Neste caso, a taxa de juros está fixada em 3%, mais correção monetária. O estudante começa também a pagar o contrato com prestações que são de, no máximo, 10% da renda mensal. 

FIES 3

Por fim, a terceira modalidade é destinada aos alunos que possuem renda familiar per capita de até cinco salários mínimos, mas não apenas para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 

Para o FIES 3 ainda não foi prevista uma taxa de juros. Sabe-se que ela será maior que 3%, mas com certeza, menor que as taxas cobradas em instituições bancárias privadas. 

Tipos de fiança do Fies

Uma das perguntas mais comuns de quem está pensando em se inscrever no Fies é: precisa apresentar fiador? Em muitos casos os estudantes até desistem por não ter como cumprir esta exigência. 

Mas, nem sempre é necessário apresentar fiador. Inclusive,  alguns estudantes podem ser dispensados da obrigatoriedade de apresentar fiador, como vamos mostrar no decorrer do texto. Além disso, existem os tipos de fianças do Fies, que são:

Fiança convencional

Neste tipo de fiança, o interessado deverá indicar até duas pessoas físicas ― no mínimo um e no máximo dois ―, com idade igual ou superior a 18 anos. Além disso, elas devem comprovar renda suficiente para quitar a dívida, se necessário. Neste caso, os fiadores devem possuir salário bruto mensal correspondente ao dobro da mensalidade financiada.

Fiança solidária

Outra modalidade de fiador no Fies é o solidário, em que o beneficiário pode escolher de três a cinco pessoas físicas para serem fiadores da dívida ― que serão fiadores entre si ―, mediante as seguintes regras:

  • Os fiadores não podem fazer parte do grupo familiar do candidato;
  • Eles devem ser estudantes da mesma instituição de ensino privada que o interessado;
  • O contrato deve ser firmado em uma mesma agência bancária;
  • Não é preciso apresentar comprovante de rendimento. 

Quem não precisa apresentar fiador no Fies

Por regra, todos os contratantes precisam apresentar fiador no Fies. No entanto, há algumas exceções, ou seja, casos em que os estudantes estão liberados deste requisito. São eles:

  • Estudantes de cursos de licenciatura;
  • Bolsistas parciais do ProUni: o Fies financia o resto da mensalidade do curso em que é bolsista, sem apresentação de fiador;
  • Estudantes com renda de até um salário mínimo e meio por pessoa.

Essas exceções contam com a fiança do FGEDUC ― Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo ― ou do Fundo Garantidor. Desse modo, o Programa não fica desprotegido. Nos demais casos, o beneficiário deverá se enquadrar ou na fiança convencional ou na solidária.

E então, entendeu quem precisa de fiador no Fies? Se tiver alguma dúvida ainda sobre o financiamento do Programa e a exigência ou não de fiador, deixe um comentário abaixo!

Comente