Figuras de Linguagem no ENEM: Veja como diferenciar e exemplos

Relembre o que são as metáforas, metonímias, antíteses e outras figuras de linguagem.

Se você está na preparação para o Enem, já deve ter percebido como as figuras de linguagem estão entre os tópicos que mais caem no exame. Portanto, é preciso dar uma atenção especial ao estudar as figuras de linguagem no Enem, seja na prova de Linguagens ou na Redação. 

Para ajudar na hora de revisar o conteúdo, apresentamos as figuras de linguagem que mais caem no Enem, o significado de cada uma delas e alguns exemplos. Aproveite a leitura e bons estudos! 

O que são as figuras de linguagem?

Figuras de Linguagem no ENEM

As figuras de linguagem são recursos estilísticos utilizados para deixar um texto mais rico e cativante. É bem comum encontrá-las em poesias, músicas, romances e até nas propagandas, como você verá nos exemplos a seguir. 

Elas servem para dar um toque especial ao conteúdo, seja para destacar uma expressão, brincar com o significado ou sons das palavras, dentre outros efeitos. A lista de figuras de linguagem é extensa e podemos dividi-las em quatro grupos: figuras de som, figuras de pensamento, figuras de palavras ou semânticas e figuras de sintaxe. 

Figuras de som 

Aliteração  

A aliteração pode ser definida como a repetição de uma consoante na mesma frase. O recurso serve para dar ritmo ao texto e é bastante utilizado em trava-línguas ou para destacar o texto. 

Alguns exemplos de aliteração: 

  • “Boi bem bravo, bate baixo, bota baba, boi berrando” – Guimarães Rosa
  • O rato roeu a roupa do rei de Roma

Assonância 

Apesar de ser parecida com a aliteração, a assonância caracteriza-se pela repetição das vogais tônicas ou de sílabas com as mesmas consoantes e vogais diferentes. 

Exemplos: 

  • “Ah! Plangentes violões, dormentes, morno” – Cruz e Souza
  • “Sou um mulato nato no sentido lato, mulato democrático do litoral” – Caetano Veloso

Onomatopeia

A onomatopeia é uma figura de linguagem que imita algum som ou ruído. Alguns exemplos: 

  • Tic-tac: representa o barulho do ponteiro do relógio
  • Atchim: imita um espirro
  • Tchibum: som de um mergulho

Figuras de pensamento 

Antítese

Em uma antítese, uma ideia se opõe a outra, sem se excluírem. Assim, ela é utilizada como uma maneira de esclarecer um ponto de vista e fortalecer uma opinião. Exemplos: 

  • “Não existiria o som se não houvesse o silêncio.” – Lulu Santos
  • “De repente, do riso fez-se o pranto.” – Vinicius de Moraes

Paradoxo

As questões que abordam figuras de linguagem no Enem podem fazer você confundir a antítese com o paradoxo. Embora sejam parecidos, os recursos são diferentes. 

O paradoxo é caracterizado por duas ideias que são contrárias e se excluem. As expressões aparecem no mesmo contexto, o que faz parecer que a situação é impossível ou que a frase não tem sentido.  

Um exemplo clássico é o poema de Luiz de Camões: 

  • “O amor é um fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer.”

Eufemismo

O eufemismo é a substituição de um termo desagradável por outro mais leve ou aceitável. Por exemplo: 

  • Ele já não está entre nós (substitui a palavra “morreu”)

Prosopopeia 

Também chamada de personificação, essa figura de linguagem utiliza características humanas em seres inanimados ou animais. 

Exemplo: 

  • “O vento beija meus cabelos. As ondas lambem minhas pernas. O sol abraça meu corpo. Meu coração está feliz.” Lulu Santos

Ironia

A ironia ocorre quando se diz algo que é contrário ao que se pensa. Geralmente, o intuito da ironia é se expressar criticamente, com sarcasmo ou de forma bem-humorada. 

Alguns exemplos: 

  • Como escritor ele é um ótimo guitarrista.
  • Ele é discreto como um elefante na vidraçaria.

Figuras de palavras

Metáfora 

A metáfora é uma das figuras de linguagem mais cobradas no Enem. Ela consiste em fazer uma comparação implícita, substituindo um termo ou outro com sentido parecido. 

Exemplos: 

  • “Ela é uma flor. Ele é uma raposa. Somente a ingratidão — essa pantera — foi tua companheira inseparável.” – Augusto dos Anjos
  • “Você, Macabéa, é um cabelo na sopa.” – Clarice Lispector 

Metonímia 

A metonímia pode ser definida como a substituição de um termo por outro. Mas, diferentemente da metáfora, na metonímia existe uma relação lógica entre eles. 

Geralmente, a metonímia indica relações de parte-todo, características, causa-efeito, continente-conteúdo, localização etc. Alguns exemplos: 

  • João pediu a mão da Maria em casamento.
  • Milhares de pessoas vivem sem teto.

Sinestesia

A sinestesia é figura de linguagem que mistura dois ou mais sentidos diferentes: audição, visão, tato, paladar e olfato. Exemplo: 

  • “As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar.” – Leonardo da Vinci

Figuras de sintaxe 

Pleonasmo 

É a repetição de uma ideia. Na linguagem coloquial, o pleonasmo pode ser caracterizado pela redundância. Já em obras literárias, a figura de linguagem serve para dar ênfase algo. 

Exemplos: 

  • O filme é baseado em fatos reais. 
  • “E rir meu riso e derramar meu pranto” – Vinicius de Morais

Anáfora

Anáfora utiliza a repetição de palavras no início da frase, verso ou período com a intenção de realçar a mensagem. Um exemplo é a famosa música Tocando em Frente: 

  • “É preciso amor pra poder pulsar. É preciso paz pra poder sorrir. É preciso a chuva para florir.” – Almir Sater

Dicas para usar as figuras de linguagem no Enem 

Mesmo conhecendo todas as figuras de linguagens na ponta da língua, é preciso ter atenção ao resolver as questões do Enem. Por isso, fique atento nas dicas:

  • Leia o enunciado com atenção: todo cuidado é pouco nas questões de figura de linguagem. Portanto, leia o enunciado e entenda bem o que é cobrado na questão. Assim você evita cair em “pegadinhas”.
  • Treine a sua capacidade de interpretação: quando falamos em figuras de linguagem no Enem, é preciso saber mais do que as definições de cada uma delas. Por isso, mantenha o hábito de ler para aprimorar sua interpretação de textos. 

Agora que você já relembrou as figuras de linguagem mais comuns no Enem, aproveite para revisar também o uso da crase na Redação.

Comente