Mudanças no Enem 2019

O novo Governo de Bolsonaro poderá fazer mudanças no Enem 2019? Confira nesse artigo possíveis mudanças no formato da prova!

Qualquer alteração no formato da prova do Enem faz os estudantes ficarem em alerta. Com isso, diante o novo governo, são esperadas mudanças no Enem 2019. Confira!

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá uma série de modificações nos próximos anos, que foram anunciadas pelo Ministério da Educação (MEC) recentemente. Contudo, embora as alterações estejam agendadas para 2021, os estudantes já podem esperar mudanças no Enem 2019 com relação às abordagens das questões, sobretudo, devido a mudanças no quadro geral do novo Governo.

A tendência é que as perguntas exijam dos estudantes uma maior capacidade crítica para encontrar a resposta correta. Em outras palavras, não basta apenas memorizar o conteúdo, também será necessário utilizar o conhecimento adquirido em diferentes contextos.

Neste artigo, vamos abordar as modificações que o Enem sofrerá nos próximos anos e de que forma ele é estruturado. Confira!

Mudanças Enem 2019
Bolsonaro diz novo coordenador do Enem priorizará ensino e não doutrinação marxista

Fique atento as mudanças já anunciadas!

Já estão confirmadas algumas mudanças para o Enem, em 2021. Uma delas é que o exame terá duas fases:

  • A primeira etapa será mais generalista abordando todas as áreas do conhecimento que fazem parte do programa das provas, que tem como parâmetro a Base Nacional Curricular.
  • A segunda etapa terá um foco mais específico, com questões mais relacionadas com a carreira pretendida pelo candidato.  Por exemplo, um estudante que busca uma vaga em Medicina terá, na segunda fase, uma maior exigência em Ciências da Natureza e suas tecnologias.  Já no caso de um aluno que pretende fazer o curso de Direito, o foco será mais direcionado para Ciências Humanas e suas tecnologias.

Além disso, outra mudança envolve o número de questões. Hoje, os candidatos são submetidos a 180 questões. Em 2021, serão cobradas 90, ou seja, a metade. Isso significa que haverá uma maior exigência de conhecimento do conteúdo, porque haverá um nível mais elevado de complexidade das perguntas.

Dessa maneira, o Enem está se inspirando em avaliações internacionais e na nova reforma do Ensino Médio, sancionada pelo presidente Michel Temer no ano passado e que vai de acordo com as mudanças realizadas nos países mais desenvolvidos.

O que esperar do Enem 2019?

Apesar as alterações sejam efetivadas somente em 2021, é importante já ter um foco para as mudanças no Enem 2019. Isso porque o tipo de questões que vão prevalecer no exame futuramente já está sendo aplicadas. Essa tendência é uma das modificações  esperadas para este ano.

Sem dúvida, haverá mais perguntas que terão como objetivo avaliar o domínio do conteúdo e a capacidade de o candidato conectar todas as disciplinas apresentadas durante o ensino médio, o que não é fácil.

Isso somente é possível quando o estudante tem muitas informações e apresenta um raciocínio crítico, que o possibilite criar uma relação entre as diversas matérias.  Por exemplo, um aluno pode adotar princípios da Física para pensar e compreender alternativas para responder uma questão sobre problemas ambientais.

Esse fator mostra que os candidatos precisam ter uma grande capacidade de se adequar a diferentes cenários para acertar um grande número de perguntas. Com isso, é relevante criar relações entre os conceitos das disciplinas que já são cobradas no Enem. À medida que o aluno for capaz de fazer conexões entre os assuntos, mais condições terá de obter um excelente resultado.

Estar preparado para as mudanças no Enem 2019 é um diferencial que não pode ser ignorado!

Conheça as alterações no Enem 2018

Neste ano, uma das mudanças marcantes foi aumentar em 30 minutos o tempo para fazer a segunda prova que teve questões de Ciências da Natureza e Matemática. Dessa forma, os candidatos tiveram mais tranquilidade para resolver os itens.

Outra alteração importante tem ligação com o conteúdo da redação. Anteriormente, o texto era anulado, caso tivesse uma conotação que desrespeitasse os direitos humanos. Em 2018, esse posicionamento foi retirado do edital.

Isso significa que uma redação com informações que sejam contrárias aos direitos humanos pode ser corrigida como as demais. Sem dúvida, o candidato deve estar atento a esses fatores para não ser surpreendido com eventuais mudanças no Enem 2019.

É natural que se busquem formas de tornar a avaliação do ensino médio mais complexa para testar o conhecimento dos candidatos. Por isso, fazer uma preparação com antecedência e planejamento se torna extremamente necessário.

Saiba de que maneira é elaborada a prova do Enem

Mudanças Enem 2019

Desde 1998, o Enem está sob a responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão vinculado ao MEC. A partir de 2009, o exame passou a ser usado por instituições de nível superior para selecionar os estudantes.

Um aspecto que diferencia o Enem dos vestibulares é a metodologia. As questões não são feitas pelo mesmo grupo de pessoas. As perguntas são elaboradas a partir de um banco de itens com milhares de questões. Cada questionamento deve fazer com que o candidato domine uma das habilidades que integra a matriz de referência do exame. Ela funciona como uma espécie de banco de dados sobre o que pode ser cobrado no teste, considerando também o nível de dificuldade.

De acordo com o Inep, a montagem de uma pergunta do Enem envolve um processo com fases diferentes, como:

  • Contratar e capacitar professores para criar as questões;
  • Revisar as questões duas vezes, pelo menos, com o apoio de especialistas;
  • Executar um pré-teste das perguntas, utilizando uma amostra de alunos com base no perfil dos que pretendem fazer o Enem; e
  • Efetivar a análise pedagógica para verificar se a questão pode fazer parte do Banco Nacional de Itens (BNI).

A partir do momento em que foi inserida no BNI, a questão pode ser utilizada em qualquer edição do Enem. Na elaboração do teste, uma equipe do Inep deve selecionar 45 itens de cada prova objetiva, buscando o equilíbrio entre a pedagogia (avaliação de conhecimento de forma ampla) e a estatística (fazer com que a seleção tenha quantidades parecidas de questões fáceis, médias e difíceis).

Anualmente, são elaboradas três versões das quatro provas objetivas, sendo que duas são adotadas na edição regular e no Enem PPL, destinado às pessoas privadas de liberdade. Uma versão fica na reserva e pode ser utilizada caso seja necessário.

Compreendendo melhor as mudanças do Enem 2019 e como as provas são elaboradas, você tem mais chances de fazer uma boa preparação e de ganhar mais confiança para alcançar uma performance acima da média.

Se você pretende se destacar no próximo Enem, leia, agora mesmo, este post sobre os erros que devem ser evitados na hora da redação. Nunca se esqueça de que o conhecimento é peça-chave para o sucesso!

Comente