Introdução na Redação do Enem: 5 formas de começar um texto

Está com dificuldades em fazer uma introdução na sua Redação Enem? Veja 5 dicas que irão te ajudar a escrever textos sobre os mais variados temas propostos pela prova.

Por
Publicado em 06/03/2018 (atualizado em 14/01/2020)

A estrutura ideal de um texto dissertativo argumentativo é composta por uma introdução, um desenvolvimento e a conclusão. Contudo, a introdução na Redação do Enem é sempre motivo de pânico entre os estudantes, pois muitos não sabem como começar o texto.

No processo inicial da escrita, a introdução de um texto dissertativo pode ser um grande desafio para quem está começando a escrever a redação, pois é aqui que você deverá apresentar o que será debatido ao longo do seu desenvolvimento.

Na postagem de hoje você vai conhecer 5 maneiras de introduzir um texto, como contextualizar e apresentar uma tese coerente com o que será discutido. Confira!

O que é uma introdução na Redação do Enem?

A introdução do texto dissertativo-argumentativo é uma parte tão importante quanto o desenvolvimento, que também demanda estratégia, pois é a parte que pode fazer com que o leitor continue ou pare a leitura. Por isso, ela deve ser clara, objetiva e bem direcionada para o que será desenvolvido ao longo do texto.

A introdução na Redação do Enem é composta de duas partes importantes: a contextualização e a tese. Na contextualização, é necessário inserir as palavras-chave do texto e, por isso, ela deve ser expositiva/dissertativa.

Já a tese deve demarcar bem o ponto de vista assumido pelo estudante/autor, bem como direcionar o leitor para o que será discutido no desenvolvimento. Por isso, esta segunda parte da introdução precisa ter um teor mais argumentativo.

É na tese que o avaliador irá identificar o seu projeto de texto. Por isso, ela precisa ser bem elaborada.

Observe o exemplo:

(Contextualização) Carga tributária é toda fonte de renda que deriva da arrecadação estatal de tributos, as contribuições de melhoria e as contribuições especiais, todas prefixadas em lei. + (tese – posicionamento do estudante) Apesar de existir uma obrigatoriedade dessa contribuição, pouso se vê aplicação desses recursos públicos – é o caso das estradas esburacadas e postos policiais sem o devido acostamento, o que prejudica a segurança dos rodoviários no Brasil.

5 formas de fazer uma introdução no Enem

5 formas de fazer uma introdução no Enem

1. Frases nominais seguidas de explicação

O primeiro modelo simplificado de se começar uma introdução na Redação do Enem e ganhar a confiança da banca é estruturar fórmulas sem verbos e com a presença de substantivos e adjetivos para marcar uma sequência de imagens que serão levadas à mente do leitor.

Observe o exemplo:

“Filas, descaso, falta de medicamentos e ausência de profissionais da saúde. Este é o atual retrato da saúde pública brasileira, que necessita de mais atenção dos órgãos públicos para a sua efetiva funcionalidade. + posicionamento do estudante (tese). “

2. Alusão histórica

Uma outra estratégia interessante que pode atrair a atenção do leitor para o direcionamento do seu texto é fazer alusões históricas. Nela, o recorte temático pode ser justificado pelo contexto histórico, fato ou hábito cultural.

A finalidade é explicar que determinada situação permanece ou sofre transformações devido a esses fatores.

Observe exemplo:

“Nos anos 80, o Brasil se tornou o país da imigração. Nesta década, também chamada de perdida, registrou-se inúmeros casos de brasileiros que deixaram o país buscando melhores condições de vida. Já no século XXI, o processo se inverteu: o país recebeu um significativo contingente imigratório, com pessoas vindo de vários países, principalmente latino-americanos. + posicionamento do estudante (tese). “

3. Citação

Outro recurso interessante e que ganha bastante destaque é a estratégia de se utilizar citação de outras áreas do conhecimento, como Filosofia, Sociologia, etc.

A citação pode ser usada de forma direta, com o uso de aspas para grifar a fala do autor, ou com de forma indireta rearticulando a fala do autor com suas próprias palavras.

Observe o exemplo:

“Segundo Foucault, “O panóptico é uma máquina maravilhosa que, a partir dos desejos mais diversos, fabrica efeitos homogêneos de poder”. + posicionamento de estudante (tese).”

4. Analogia

Outras ferramentas que podem ser usadas para introduzir um texto são as analogias. Nesta estratégia, busca-se comparar situações distintas pra provar certa semelhança. No entanto, é preciso atenção para não tentar aproximar dois elementos descabidos.

Observe o exemplo:

A Finlândia vem sendo referência em desenvolvimento autossustentável, trazendo um bom exemplo do que a educação é capaz de proporcionar para os jovens do país para além do ensino tradicional. + posicionamento do estudante (tese) Em contrapartida, no Brasil, a realidade tem sido bem distinta. A falta de coleta seletiva nas grandes cidades, aliada ao desconhecimento sobre auto sustentabilidade nas escolas, tem sido um fator impactante nas políticas públicas.”

5. Definição

Esta estratégia, que também é simples, é uma das mais comuns e utilizadas pelos estudantes, e não deixa de oferecer credibilidade para o leitor. A definição pode ser de vários tipos: histórica, teórica, de dicionário e até mesmo pessoal — baseada em suas experiências de vida e visão de mundo.

Observe o exemplo:

“Racismo consiste no preconceito e na discriminação com base em percepções sociais baseadas em diferenças biológicas entre os povos.+ Posicionamento do estudante (tese). “

Como você pode perceber, são vários recursos que você pode utilizar para estruturar aquela introdução interessante e que vá direcionar o leitor para os pontos importantes que serão discutidos no texto.

Gostou das nossas dicas de introdução na Redação do Enem ? Compartilhe esta experiência com seus amigos nas redes sociais!

Comente