Sisu Transferência: O que é? Como Participar?

O programa Sisu Transferência pretende ocupar as vagas remanescentes em universidades públicas e deve entrar em vigor ainda este ano.

Estudar em uma universidade pública é o sonho de muitas pessoas. Porém, a concorrência e a quantidade de vagas podem tornar este sonho mais distante e fazer com que as pessoas optem por estudar em uma instituição privada. A boa notícia é que os estudantes que já cursam o ensino superior poderão ocupar as vagas ociosas em faculdades e universidades públicas.

O projeto Sisu Transferência foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) e é uma ótima oportunidade para aqueles que não conseguiram se matricular no curso que desejavam durante o processo de seleção do Sisu.

O que é o Sisu Transferência

Sisu Transferência  - O que é?

O Sisu Transferência foi apresentado pelo MEC em 2018 e deve ser implementado no segundo semestre de 2019. O projeto deverá funcionar como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), selecionando os estudantes de acordo com o seu desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Porém, como as vagas serão abertas ao longo do curso, o programa será direcionado aos estudantes que estão matriculados no ensino superior em alguma instituição de ensino particular ou em uma universidade pública e queiram fazer a transferência.

Assim, os candidatos terão uma nova chance de ingressar no curso que deseja sem precisar realizar o Enem novamente e aguardar a próxima edição do Sisu.

Como vai funcionar o programa?

O Sisu Transferência contará com um sistema informatizado, semelhante ao modelo utilizado pelo Sisu. Por meio dele, o candidato terá acesso às vagas disponíveis em instituições de todo o país e deverá utilizar seu desempenho na última edição do Enem para conseguir a vaga.

As faculdades e universidades não serão obrigadas a participar do programa, mas a iniciativa promete gerar benefícios, como a flexibilização para que a instituição decida a quantidade de vagas que irá disponibilizar no sistema.

Atualmente, cada instituição possui suas próprias regras para preenchimento das vagas que não foram preenchidas ou que estão ociosas por estudantes que abandonaram o curso. Com o Sisu Transferência, haverá algumas regras gerais mas, ainda assim, a universidade poderá criar seus próprios critérios para seleção, como exigência de nota mínima e vagas reservadas para cotistas.

Por que o MEC criou o projeto?

A quantidade de vagas ociosas no ensino superior do Brasil é preocupante. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), são 2,8 milhões de vagas ociosas. Deste total, 164 mil são em universidades públicas.

Com tantas vagas não ocupadas, o dinheiro público acaba sendo desperdiçado, enquanto milhares de estudantes que sonham em estudar em uma universidade pública não conseguem ingressar nas instituições.

Ainda de acordo com o Inep, o aumento das vagas remanescentes ocorreu por dois motivos principais. O primeiro é o alto número de desistência em cursos de graduação – principalmente em cursos de licenciatura. O segundo motivo é o abandono do curso para se matricular em outro. Com o Sisu Transferência, a expectativa é que boa parte das vagas sejam preenchidas ao longo do ano letivo.

E aí, gostou da novidade? Compartilhe conosco sua opinião e expectativas com o Sisu Transferência!

Comente