Michel Foucault: como usar na redação do Enem?

Conheça as principais aspectos das teorias de Michel Foucault e como utilizá-los como repertório na sua Redação do Enem. Confira!

A Filosofia é uma disciplina que merece muita atenção para os estudantes que vão fazer o Enem. Além de fazer parte da área de conhecimento Ciências Humanas, Códigos e suas Tecnologias, a Filosofia traz diversos temas que podem ser utilizados para explicar a realidade atual, sendo muito útil na escrita da redação.

Por esse motivo, é muito importante estudar as escolas de pensamento e, claro, seus principais pensadores. Neste texto, você vai saber mais sobre o filósofo Michel Foucault e como suas teorias podem ser usadas na Redação do Enem. Confira!

Michel Foucault: Contexto histórico

Michel Foucault no Enem

Foucault nasceu em Poitiers, França, em 15 de outubro de 1926. Nascido em uma família de médicos, desde cedo ele se recusou a seguir a tradição familiar. Começou muito cedo a se interessar pela Filosofia, mas não foi apenas isso que marcou sua vida.  Foucault era bastante extravagante e sua história é cheia de eventos como experiências no sanatório, tentativas de suicídio, uso de drogas, dentre outras coisas.

Após a Segunda Guerra Mundial estudou na École Normale Supérieure, onde cursou Filosofia e, após passar um período em Uppsala (Suécia) e na Polônia e na Alemanha, retornou à França, em 1960.

Aos 28 anos publicou o livro “Doença Mental e Personalidade”, que foi o seu primeiro. Em 1961, escreveu “História da loucura na Idade Média”, obra que deu a ele o título de Doutor e foi uma forte crítica ao desprezo que as pessoas tinham pelos doentes mentais naquela época. Depois de obter seu doutorado, envolveu-se no ativismo político após as greves estudantis em 1968, em Paris.

Filosofia de Foucault

De corrente filosófica Pós-Modernismo, Michel Foucault tratou de temas polêmicos para a época, como sexualidade, loucura, poder, disciplina e punição. Segundo o Filósofo, o conceito de loucura mudou através do tempo.

Ele acreditava que a loucura não é apenas uma doença ou natureza do indivíduo, mas um fato de cultura. Sua crítica à psiquiatria e psicanálise tradicionais ficou bem conhecida, pois ele acreditava que ambas eram instrumento de controle e dominação psicológica.

Foucault não só refletiu sobre a loucura, mas principalmente sobre poder e disciplina. Na obra Vigiar e Punir: História da Violência nas Prisões, o filósofo traz toda a tecnologia do poder.

Segundo ele, nas prisões o poder não é exercido pela lei e sim por normas, que se refletem em gestos, condutas e no próprio homem moderno. Ainda segundo Foucault, mesmo que a prisão fosse exercida por meio legais era uma forma de domínio da burguesia ao proletariado.

O pensamento de Foucault também se concentrou no modo como nosso discurso — nosso modo de falar e pensar as coisas — é formado por um conjunto de regras, em sua maioria inconscientes, que são ditadas pelas condições históricas em que nos encontramos.

Desse modo, o que se entende como “senso comum” é na verdade o modo como pensamos baseado nessas regras e condições. Sendo assim, elas mudam ao longo do tempo e por isso não podem ser usadas no presente acreditando-se que são eternos.

Com base nisso, Foucault disse que o homem não é apenas uma invenção recente, mas pode estar com seus dias contados e se apagar como um rosto desenhado na areia da praia.

Suas principais obras são:

  • História da loucura (1961);
  • O nascimento da clínica (1963);
  • As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas; e
  • Vigiar e punir.

Redação do Enem: como usar Michel Foucault?

Se você observar, as ideias defendidas por Michel Foucault são mais atuais do que nunca, principalmente quando falamos de poder. A reflexão que esse pensador fez sobre a noção de poder, por exemplo, pode abarcar diversos temas que podem ser cobrados na redação do Enem.

Segundo sua filosofia, todas as relações humanas são de poder, já que todas as relações humanas envolvem disputa e domínio. Assim, não apenas Instituições como o Estado e a Igreja exercem poder sobre os demais, mas está distribuído por toda a sociedade. Foi o que ele chamou de Microfísica do Poder. É assim que também nasce a resistência, que é um contra-poder de qualquer exercício de poder.

Diversos assuntos abordados na atualidade podem ter como base argumentativa a teoria de poder de Michel Foucault, que é uma das mais famosas e discutida ao longo do tempo. Temas ligados à política, sistema carcerário, minorias, saúde mental, lutas de classes etc, podem citar as teorias de Foucault.

A seguir, conheça algumas das frases mais famosas deste pensador:

“Édipo não se cegou por culpa, mas por excesso de informação.”

“O novo não está no que é dito, mas no acontecimento à sua volta.”

“As luzes que descobriram as liberdades inventaram também as disciplinas.”

“Devemos não somente nos defender, mas também nos afirmar, e nos afirmar não somente enquanto identidades, mas enquanto força criativa.”

“O Homem e a vaidade movem o mundo.”

Foucault na atualidade

Outros temas relacionados com o filósofo e suas teorias é a atual discussão sobre a perda de privacidade nas redes sociais com a divulgação dos escândalos de espionagem divulgados pela mídia desde 2013, quando Edward Snowden, ex funcionário da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) revelou por meio de relatórios que o Governo Americano utilizou servidores de empresas da internet (Microsoft, Yahoo, Google, Facebook, PalTalk, AOL, Skype, YouTube e Apple) para obter vantagens econômicas e políticas em relação a outras nações. Diante disso, levanta-se o questionamento se não estamos sendo o tempo todo vigiados e disciplinados ?

Vídeo-Aula

Veja agora uma vídeo-aula com a professora de linguagens e redação Jana Rabelo:

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário abaixo e compartilhe com os amigos nas redes sociais!

Deixa um comentário