Crase na Redação do ENEM: o uso correto da acentuação

Domine a regra gramatical e não erre mais ao usar a crase na redação do Enem.

A prova de redação é uma das maiores preocupações dos estudantes que fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Afinal, ninguém quer arriscar seu futuro em uma universidade por causa de uma nota ruim, não é mesmo? Mas se tem uma coisa ainda mais assustadora é quando dois dos maiores “pesadelos” dos estudantes se unem! Estamos falando do uso da crase na redação do Enem.

O problema é tão grande que este é um dos erros mais comuns na redação e que podem fazer você perder alguns pontos valiosos na somatória final. A boa notícia é que usar a crase na redação do Enem não precisa ser encarado como um bicho de sete cabeças. Se você conhecer bem as regras de utilização da acentuação e, mais importante, saber como aplicar na prática, suas chances de errar diminuem bastante.

Então, para resolver todas as dúvidas e confusões sobre o assunto, reunimos as regras do uso da crase e exemplos práticos para você não errar mais!

O que é a crase?

Crase na Redação do ENEM: confira todas as regras e macetes

Muitas pessoas não sabem como usar a crase na redação do Enem simplesmente por não entenderem o seu significado ou por acharem que ela se enquadra nas regras gerais de acentuação.

A palavra crase significa “fusão’, “mistura”. Ela é indicada pelo acento grave (`) e ocorre quando há a junção entre a preposição “a” e os artigos definidos “a” ou “as”. Além disso, a crase pode ser usada para representar a mistura entre a preposição e os pronomes demonstrativos “a” ou “as” e na primeira vogal dos pronomes demonstrativos “aquele”, “aquela” e “aquilo”.

É importante saber que a crase é um fenômeno fonético, ou seja, pertence à língua oral. Você também deve se lembrar de que o uso da crase está relacionado à regência verbal e nominal. Logo, é necessário considerar as regras de regência para não errar ao usar o acento grave.

Quando usar a crase?

Confira as principais regras e situações em que o uso da crase é obrigatório:

  • A regra básica estabelece o uso da crase quando a frase é formada por um termo que exige a preposição “a” e a próxima palavra for feminina, ou seja, exige o artigo “a”.

Exemplo: Eu me referi a (preposição) + a (artigo) diretora = Eu me referi à diretora.

  • Emprega-se a crase antes de locuções adverbiais de tempo, lugar e modo formadas por palavras femininas, como à noite, à tarde, à vista, às vezes, às pressas, às escondidas etc.

Exemplos: Chegou às quatro horas e só foi embora à noite.

Ela caminhava às pressas pela rua.

Vou à loja escolher um presente.

  • Locuções conjuntivas “à medida que” e “à proporção que”.

Exemplo: Ficava mais ansiosa à medida que o tempo passava.

  • Locuções prepositivas formadas por “a” + palavra feminina + “de”.

Exemplo: Ela está à procura da felicidade.

  • Antes de sinalizar a horas.

Exemplo: Estarei em sua casa às nove horas em ponto.

  • Quando a palavra feminina está subentendida na frase, como ocorre nas locuções “à moda de” e “à maneira de”.

Exemplo: Saiu à francesa no meio da festa.

Quando NÃO usar a crase?

Algumas situações dispensam o uso da crase. Então, observe com atenção para não errar:

  • Antes de palavras masculinas.

Exemplo: Gostava de andar a pé.

  • Antes de pronomes de tratamento, exceto senhora, senhorita e dona.

Exemplo: Peço licença a Vossa Excelência.

  • Diante de verbos.

Exemplo: Estava disposto a concorrer mais uma vez.

  • Em expressões formadas por palavras repetidas, como gota a gota, dia a dia, frente a frente etc.

Exemplo: Ficou cara a cara com o inimigo.

  • Antes de substantivos usados em sentido genérico.

Exemplo: Falava a pessoas desinteressadas.

  • Quando um “a” estiver no singular e a palavra seguinte estiver no plural.

Exemplo: Não enviarei o convite a algumas pessoas.

Uso facultativo

Fique atento pois, em alguns casos, o emprego da crase é facultativo. São eles:

  • Antes de nomes próprios femininos.

Exemplo: Ele fez referência a Susana. / Ele fez referência à Susana.

  • Antes de pronomes possessivos femininos no singular.

Exemplo: Obedeço a minha irmã. / Obedeço à minha irmã.

  • Depois da preposição “até”.

Exemplo: Fomos até a biblioteca. / Fomos até à biblioteca.

Crase na Redação do Enem: veja como usar corretamente

Alguns macetes podem ajudar a solucionar a dúvida em relação ao uso da crase na redação do Enem. A mais conhecida e mais simples também é o truque de substituir a palavra feminina por uma masculina. Com isso, podem acontecer as seguintes situações:

  • Se o “a” pode ser trocado por um “o”, não há crase.

Exemplo: Leu a revista. Leu o livro.

  • Se o “a” não é alterado, não se usa crase.

Exemplo: Elas ficaram cara a cara. / Elas ficaram lado a lado.

  • Quando o “a” transforma-se em “ao” o uso da crase é obrigatório.

Exemplo: Fui à praça com os amigos. / Fui ao parque com os amigos.

Gostou de conferir as regras de como usar crase na Redação do ENEM? Então não deixe de nos seguir no facebook para receber mais dicas 

Comente