P-Fies vale a pena? Entenda o Financiamento Estudantil privado

Antes de contratar o P-Fies, é preciso considerar alguns aspectos importantes sobre o financiamento.

Maior flexibilidade nas condições de contratação e pagamento, possibilidade de ter uma renda per capita mais alta são alguns diferenciais do P-Fies. A nova modalidade do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) pretende facilitar o ingresso no ensino superior. Mas será que o P-Fies vale a pena?

Esta pergunta é fundamental para você decidir se deve ou não optar por um financiamento privado. Afinal, ninguém quer iniciar sua vida profissional com uma dívida que não consegue pagar, não é mesmo? Para lhe ajudar, apresentamos os principais aspectos que você precisa considerar antes de tomar uma decisão.

P-Fies: o que é?

P-Fies Vale a Pena? Entenda o programa

O Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) é uma nova modalidade do Fies. Com ele, os estudantes podem ter acesso a um financiamento para pagar as mensalidades enquanto cursa o ensino superior.

A principal diferença entre Fies e P-Fies é em relação aos termos de concessão. Enquanto o Fies é financiado pela Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a juros zero, o P-Fies é concedido por um banco privado. Assim, o P-Fies funciona como um financiamento privado, porém com juros menores. Todas as condições de financiamento, como taxa de juros e prazo para pagamento são definidas entre o banco, a instituição de ensino e o estudante.

Como funciona o financiamento

Atualmente, o P-Fies conta com uma edição a cada semestre. Para se inscrever no programa, o estudante precisa ter realizado o Enem a partir de 2010 e obtido pontuação média igual ou superior a 450 pontos e não ter zerado a redação. Além disso, é preciso comprovar a renda bruta familiar que deve ser de três a cinco salários mínimos por pessoa.

O processo seletivo dos estudantes é feito de acordo com a nota do Enem e, para conseguir o financiamento, o candidato precisa encaminhar seus dados para ser pré-aprovado pela instituição financeira.

Assim como no Fies, o estudante que contratar o financiamento deverá pagar as parcelas após a conclusão do curso.

O P-Fies vale a pena?

Se você se encaixa nos pré-requisitos para contratar o financiamento, é hora de analisar se o P-Fies vale a pena. Esta é uma questão pessoal e não existe certo ou errado. A decisão em contratar ou não um financiamento com juros depende da sua renda, das condições ofertadas pelo banco, empregabilidade do curso etc.

Para ajudar na sua decisão, elencamos alguns fatores que você deve pesar para saber se o P-Fies vale a pena para você:

Outras despesas

Ao ingressar em uma faculdade, você precisa considerar outras despesas que vão além da mensalidade. Gastos com materiais de estudo, alimentação e transporte são alguns exemplos.

Além disso, ao contratar o P-Fies, você terá outras despesas com o programa durante o curso. Se o financiamento foi de 50%, por exemplo, lembre-se que você terá que pagar a outra metade da mensalidade. Outros gastos envolvidos com o P-Fies são: contratação de seguro de vida obrigatório e taxa com gastos operacionais.

Portanto, coloque na ponta do lápis todas as despesas que você terá no decorrer dos estudos. Se a sua renda não é o bastante para pagar a mensalidade integral, mas é suficiente para arcar com as outras despesas que não são cobertas pelo financiamento, pode ser que o P-Fies seja bom para você.

Entretanto, se mesmo com o financiamento de uma parte da mensalidade você não possui renda suficiente para cobrir os demais gastos, é melhor não contratar o P-Fies. Neste caso, convém buscar outro programa educacional, como Sisu e Prouni, por exemplo.

Condições de financiamento

Conforme já explicamos,  as condições de financiamento são definidas entre a instituição financeira, a faculdade e o estudante. Com isso, o valor do financiamento, taxas de juros, número de parcelas e prazo para começar a pagar variam bastante.

Então, faça uma simulação e analise bem todas as condições de financiamento antes de assinar o contrato. Lembre-se que o financiamento é uma dívida para os próximos anos. Portanto, não adianta contratar se as condições dificultam ou comprometem o pagamento.

Curso

O curso que você pretende financiar também precisa ser considerado ao determinar se o P-Fies vale a pena. Primeiramente, analise se não há outra forma de se matricular sem precisar financiar. Pesquise se o curso é oferecido em universidades públicas e se você tem condições de cursá-lo. Se a resposta for afirmativa, vale a pena optar pela instituição pública.

Mas, se o curso superior está disponível apenas em instituições privadas ou se você não conseguir se matricular na universidade pública por algum motivo, existem outras opções. Geralmente, as instituições privadas têm seus próprios programas de descontos e bolsas parciais. Analise se você está apto a conseguir ou se consegue pagar a mensalidade com os descontos.

Além disso, veja o desempenho da profissão pretendida no mercado de trabalho. Questione-se: neste curso tenho boas chances de conseguir um emprego? A remuneração é boa? Dependendo das respostas, vale a pena apostar no financiamento como um investimento a longo prazo na sua carreira.

Agora que você entende como o financiamento privado funciona, queremos saber: você acha que o P-Fies vale a pena para você? Comente sua experiência!

Comente